Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

  Sombrio Como a Noite. - Capítulo 07. [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
13072013
Mensagem Sombrio Como a Noite. - Capítulo 07. [+16]

Clique aqui para ver todos os capítulos desta história!



Tema do Desenho / Quadrinho:
Batman.

Gêneros:
Ação, Amizade, Aventura, Romance, Suspense, Tragédia,

Clique aqui para ver as Informações Iniciais:
 



Parceiros.

Depois que a Piadista se acalmou ela se soltou de Asa Noturna e se ajoelhou de novo, Asa Noturna olhou melhor e viu que ela estava debruçada em cima de uma foto de sua mãe, provavelmente nos dias em que Arlequina era a doutora Harlenn Quinzel, mas ela segurava um bebe no colo.

—É a sua mãe? –Asa Noturna perguntou mesmo já sabendo a resposta.

—Sim, ela sempre foi tudo para mim, ela sempre me protegeu, sempre cuidou de mim, ela sempre manteve aquele louco longe de mim. –Piadista disse se referindo ao Coringa com frustração.

—Você é mesmo filha dele? –Asa Noturna perguntou curioso e intrigado com aquilo.

—Sim, quando minha mãe ficou grávida ela tinha medo de que ele me machucasse antes de eu nascer, então se afastou do Coringa por algum tempo. –Piadista disse fazendo uma pausa ao se lembrar da época em que foi realmente feliz. —Tempo o suficiente para recuperar sua sanidade, ela tinha voltado a trabalhar como doutora em uma clinica terapêutica, por oito anos eu fui feliz, então aquele desgraçado apareceu, ele me sequestrou e me levou para o lugar onde ele “nasceu”, o Batman apareceu, mas isso só o provocou e ele me atirou naquele tonel com ácido.

—Sim, eu já ouvi essa história, assim como o Coringa... você é um dos grandes fracassos do Batman. –Asa Noturna disse com peso em sua voz.

—Eles acharam que eu tinha morrido, mas eu sobrevivi, minha mãe viu e também fez a mesma coisa, então a partir daí ela nunca mais foi à mesma, a mente dela tinha sido totalmente destruída pelo Coringa. –Piadista disse colocando a mão em sua cabeça e puxando seus cabelos com força.

—Mas e você, você sobreviveu aquilo? Mas sua sanidade não foi afetada. –Asa Noturna disse confuso.

—Não, minha sanidade foi devastada, por muitas semanas eu enlouqueci, eu era muito nova, eu me lembro ainda eu via coisas, imagens, monstros, eu gritava sem controle todas as noites, até o Coringa tinha medo de chegar perto de mim. –Ela explicou soltando seu cabelo.

—O que aconteceu então? –Asa Noturna perguntou se sentando ao lado dela.

—Depois de ficar daquele jeito por tanto tempo, eu fiquei lúcida, muito lúcida, eu lutei contra milhares de personalidades e venci cada uma, eu me libertei daquilo, daquela loucura, eu tentei ajudar minha mãe, mas não consegui, ela acabou se acostumando com aquela vida, tudo por culpa daquele palhaço. –Piadista disse enquanto uma lágrima escorria pelo seu rosto. —Tudo o que eu queria era ajudar a única pessoa que me amou de verdade, mas aquele maldito Asa Noturna tirou ela de mim!

Piadista percebeu como Asa Noturna ficou quando ela falou de seu sósia e ela acabou se arrependendo de falar daquela forma.

—Desculpa, mas você não entende o que é ter a pessoa que você mais ama ser morta e você não poder fazer nada para o culpado pagar. –Piadista disse entristecida.

—Acredite, eu entendo, provavelmente entendo melhor do que ninguém. –Asa Noturna respondeu com tristeza no olhar.

—Como assim? –Piadista perguntou enxugando uma lagrima que escorreu pelo seu rosto.

—O meu pai foi tirado de mim, e eu vou fazer quem o tirou de mim pagar. –Asa Noturna disse fechando seu punho com força. —Desculpe por te incomodar, aqui fique com isso.

Ricky entregou para ela a chave do apartamento em Bludhaven no qual vivia antes de ir para a mansão quando tinha dez anos.

—O que é? –Piadista perguntou pegando as chaves.

—É a chave de um apartamento de Bludhaven, é melhor que esse lugar. –Asa Noturna disse se levantando e indo até a janela.

—Por que está me ajudando? –Piadista perguntou se levantando também.

—É o que eu faço. –Asa Noturna deu um chute na janela a destruindo.

Quando Piadista olhou para o herói viu as luzes dos postes próximos iluminarem o corpo dele, destacando os detalhes em azul de seu uniforme, ela se sentiu de uma forma que nunca se sentiu antes, perto de Asa Noturna ela se sentia segura, protegida.

—Espere. –Piadista pediu indo até Asa Noturna, o herói então se virou para ela. —Me deixe te ajudar.

—Sabe onde está o Exterminador? –Asa Noturna perguntou de forma grossa e direta.

—Não. –Piadista respondeu confusa.

—Então não pode me ajudar, vá para Bludhaven estará segura lá. –Asa Noturna disse preparando seu gancho.

—Mas eu conheço pessoas que trabalham com ele, eles devem saber onde ele está. –Piadista disse.

—Eu não quero que se machuque. –Asa Noturna disse ainda tentando fazer ela ficar.

—Eu fui criada por dois assassinos psicóticos, eu posso cuidar de mim mesma. –Piadista disse com um sorriso no canto da boca.

—Quem você conhece que trabalha com Exterminador? –Asa Noturna perguntou.

—Um contrabandista e um dos maiores chefes do tráfico em Gotham, Bane. –Piadista respondeu.

Quando ouviu aquele nome Asa Noturna sentiu um frio na espinha, o seu pai havia contado várias histórias sobre as lutas de Bruce como Batman, quando criança a que Ricky mais temia era a de Bane, um assassino que ouviu histórias do Batman e fez do herói sua presa pessoal, em sua primeira luta conseguiu derrotar o herói facilmente, deixando Bruce um ano de cama após quebrar as costas dele.

—Onde fica a base dele? –Asa Noturna perguntou com um pouco de hesitação em sua voz.

—É um petroleiro, nos últimos meses ele tem transportado seu Veneno pela cidade e espalhado ele por aí, é na baía de Gotham. –Piadista respondeu, mas também percebeu o temor na voz de Asa Noturna.

—Vamos lá. —Asa Noturna disse.

—Como, vai querer saltar de prédio em prédio até chegar lá. –Piadista debochou.

—É claro que não. –Asa Noturna disse ativando seu computador de pulso, depois de alguns segundos sua moto apareceu em baixo deles sendo pilotada por controle remoto.

—Gostei. –Piadista disse sorrindo.

Os dois desceram usando o gancho de Asa Noturna, eles subiram na moto, Piadista colocou seus braços envolta de Asa Noturna e se segurou firmemente, Ricky sentiu seu rosto ficar mais quente, mas não deu importância e acelerou o máximo que pode para a baía de Gotham.

avatar
Samuel Jr
Escritor(a) Padrão

Mensagens : 26
Popularidade : 1
Data de inscrição : 25/06/2013
Idade : 20
Localização : Botucatu, SP
Respeito às regras : Nenhuma advertência. Após 04 advertências, o usuário será banido.

Escritor especialista em Fantasia

Ver perfil do usuário
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

Sombrio Como a Noite. - Capítulo 07. [+16] :: Comentários

Nenhum comentário.
 

Sombrio Como a Noite. - Capítulo 07. [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: DESENHOS / QUADRINHOS-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.