Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

  Sobre O Amor E A Guerra - Capítulo 01 - Que a Vingança Comece! [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
24072013
Mensagem Sobre O Amor E A Guerra - Capítulo 01 - Que a Vingança Comece! [+16]

Clique aqui para ver todos os capítulos desta história!



Gêneros:
Drama, Romance, Tragédia, Ecchi, Amizade.

Clique aqui para ver as Informações Iniciais:
 




A lua cheia já estava brilhando e iluminando o grande céu que se encontrava escuro naquela noite de inverno. Um trem estava prestes a sair em viajem e dentro de uma cabine dois homens se destacavam.

Issac se encontrava em uma cabine no trem junto com seu mais fiel amigo, Bradley.

- Issac, não podemos passar por mais perigos! Sabes o quanto foi difícil há quatro anos eu poder me passar por membro da SS e me infiltrar no campo de concentração Belsen antes que você fosse morto? - Bradley falou em um cochicho, se alguém os ouvisse estariam colocando tudo a perder, o medo de Bradley estava escrito em sua testa. Não que ele fosse medroso, mas ele não suportaria morrer antes de conseguir lavar a honra de todos os civis que morreram em vão.

– Ora, meu amigo! Deixe de ser pessimista, somos mais espertos que estes merdinhas, não seremos pegos! - Issac falou apoiando os cotovelos sob a mesa e olhando pela janela.

– Você não entende! Eles te torturaram e você teve a sorte de eu chegar a tempo, imagine se te pegarem de novo o que irão fazer! Somos soldados soviéticos e nos consideram inimigos de guerra, por pouco não te matam! Vai continuar a se arriscar tanto até quando? - continuava Bradley sensato

– Meu amigo, isso foi no passado, já se passaram três anos e eu ainda não fui pego e muito menos desconfiaram de mim. Eu não irei desistir até que isso termine! Batalhei pra conseguir ser um membro infiltrado na SS, não sabes o quanto és difícil ter que conviver com aquela gente e ter que se segurar todos os dias para não voar no pescoço de cada um! Levaram tudo o que eu tinha, agora irei até o fim, não tenho nada a perder! Vou entender se quiseres seguir tua vida sem me acompanhar nesta jornada. És jovem e ainda tem tempo de ter uma família e ficar fora disso tudo! - Issac falou o olhando sincero.

Bradley olhou em seus olhos e viu que Issac iria até o fim nessa historia, tiraram tudo o que ele mais prezava na vida: a sua família.

­­Issac era um soldado soviético do Exército Vermelho, um dos mais influentes e de alto escalão. E claro que era inimigo de guerra da Alemanha nazista. Morava na Rússia junto com sua esposa e filho. Quando a Operação Barbarossa em 1941 atacou a Rússia, alguns ­­­­nazistas invadiram sua casa e mataram seu filho, estruparam e mataram a sua mulher na sua frente e destruíram a sua casa. Logo depois o levaram para o Campo de Concentração de Belsen onde ele foi torturado, mas antes de morrer foi salvo pelo seu amigo de longa data Bradley. Depois disso, Issac se mudou para a Alemanha trocando de nome e pronto para começar a sua vingança, se infiltrou no governo alemão e depois de três anos ele já era um dos melhores membros da SS. Porem ainda não era o que queria, ele queria ter a chance de estar frente a frente com Klaus Herder e o matar da forma mais cruel, do mesmo jeito que ele matou sua família.

– Então iremos até o fim, pois não irei lhe abandonar logo agora. Estou nesse plano por ti, por mim e por todos os civis e inocentes que estão morrendo! - Bradley falou colocando a mão sobre o ombro do amigo, e determinado a seguir em frente independente do perigo.

Ambos sabiam que não iriam conseguir chegar até Hittler, mas sabiam que se dessem o melhor poderiam matar vários militares.

– Ótimo, temos muito que fazer!

- Vamos por nosso plano em prática em Munique, então resolvi pesquisar, e achei algo muito interessante. Há uma casa de uma família da alta burguesia alemã, onde se disponibilizaram para abrigar um dos membros mais comentados da SS, ou seja, você! Já entrei em contato a família e estão dispostos a te abrigar por alguns meses, é uma casa grande e você sabe como as famílias burguesas adoram conhecer políticos influentes. – Disse Bradley retirando de uma pasta alguns papeis e pondo em cima da mesa.

– E o que tem de interessante nisso tudo? – Perguntou Issac arqueando uma sobrancelha e pegando os papeis onde continham informações dos moradores da casa.

- Bem... Uma das filhas da tal família está prometida a um oficial de alto escalão... – Bradley falou já sorrindo

- Isso já está meio antiquado... Ainda fazem casamento arranjado?

- Concordo, mas a família é burguesa, o homem da família morreu cedo e quem segura às pontas é a mãe. E todos nós sabemos o quanto mulheres da burguesia se importam MUITO com o que a alta sociedade falam delas.

– Entendo... – Falou Issac balançando a cabeça em sinal de reprovação. – No entanto, eu ainda não sei o que isso tem de importante com o nosso plano! – falou Issac já perdendo a paciência, fazendo com que Bradley soltasse uma leve risada.

– Acontece que o homem com quem a jovem moça irá se casar é Rowan Herder, filho de Klaus Herder. Portanto, eu acredito que se conquistar a confiança dessa família ou a do tal oficial estará com meio caminho andado para a nossa tão espera vingança! – Falou Bradley com astucia.

- Agora isso realmente ficou Interessante... - Issac murmurou sorrindo de canto enquanto olhava para o papel que tinha em mãos contendo a foto da moça [...]

*********************

Já havia amanhecido e Helene ainda não conseguira dormir. Ela odiava e muito menos apoiava os métodos que a Alemanha nazista tomava em relação aos judeus e polacos. Por mais que os oficiais dessem motivos para estarem torturando as pessoas, ainda não seria o suficiente para tanto holocausto.

Helene suspirou e se sentou na cama, olhou pela grande janela no seu quarto que dava de frente para o jardim, grande e florido. Ela sentia do fundo de seu coração que não estava pronta para se casar, principalmente com um oficial, geralmente eles eram machistas e não pediam opiniões às mulheres, e ela não queria isso, ela queria um marido que a apoiasse e que ouvisse seu ponto de vista. Achava-se jovem ainda com 18 anos, queria aproveitar a “liberdade” que ainda tinha.

- Senhorita... – A empregada deu uma leve batida na porta e a abriu, tirando-a de seu devaneio, avisando que o café já estava na mesa e que sua mãe a chamara para comer junto dos outros.

A jovem suspirou fundo mais uma vez, ela sabia que iria discutir novamente com sua mãe. Era muito inexperiente ainda com certas coisas, mas era forte e com personalidade, sabia o que acontecia a sua volta.

Desceu as escadas e se sentou em uma das cadeiras de frente para a grande mesa.

Seu irmão conversava com o seu amigo despreocupadamente falando sobre seus feitos na guerra, enquanto sua mãe falava com sua irmã mais nova sobre como se portar quando o filho do Sr. John Keller chegasse ao grande baile de casamento.

A irmã mais nova de Helene se chamava Gisela, e sua mãe queria casar a moça com Peter Keller, filho do Sr. John Keller, portanto os modos da menina no baile de noivado de Helene eram decisivos na decisão do Sr. John em respeito do noivado dos dois jovens.

- Vejo que esta com muita fome senhorita Helene... – Jonah comentou irônico dando um sorriso deslumbrante. Jonah Weber era um jovem simpático, amigo de infância de seu irmão e dela.

- Oh, sim, Helene esta fazendo o correto, precisa perder alguns quilos para ficar elegante no seu vestido de noiva, afinal, homens como Rowan não devem gostar de mulheres gordas! – A frase de sua mãe deu um impacto no coração de Helene, só em pensar em vestir-se de noiva já dava arrepios e se casar mais ainda, principalmente com o um homem que mal conhecia.

A única coisa que sabia de seu noivo era que ele era muito cobiçado pelas mulheres por sua bela aparência, sua educação aparente e um amante da guerra.

- Noiva?– Perguntou Jonah confuso.

Helene não sabia, mas Jonah desde jovem nutria certo sentimento romantico por ela depois que trocaram os seus primeiros beijos durante um baile quando ambos tinham 15 anos.

- Oh, sim, me desculpe por não ter contado, mas não achei que fosse algo importante de se dizer, afinal, é só um casamento! – Disse Connor fazendo pouco caso do casamento da sua irmã.

Connor era apenas um ano mais velho de Helene, era um homem orgulhoso e egoísta, também era muito cobiçado pelas mulheres por sua beleza. Helene sabia que grande parte do casamento acontecer era porque se casasse com Rowan ele teria mais “recomendações” para os campos de guerra.

- Não é só um casamento, é a prisão da minha vida! – Helene falou firme

- Cale a boca Helene, não sabes o que estas a dizer! Varias moças estariam loucas para se casar com Rowan! Deve dar graças aos céus por ter a sorte de achar um homem como ele! – A mãe de Helene falou alterada, batendo o punho sob a mesa. Depois que o pai de Helene morrera a senhora Strauss teve que segurar as pontas na família, tendo de cuidar do futuro de seu filho mais velho e tendo que manter Helene e Gisela jovens puras e inteligentes, para que um dia arranjassem um marido bom.

- Não deve se estressar minha mãe, apesar de Helene já estar com quilinhos a mais, ela é uma moça e tem uma beleza digamos... Aceitável. – Disse Connor sarcástico.

Helene ficou perplexa, como poderiam falar de seu futuro assim?! Sem dar importância do que ela achava daquilo tudo?! Ela não aceitava isso, ah não, ela não aceitava mesmo!

- Não podem decidir o rumo de minha vida! Não tem esse direito! – Agora, era Helene quem estava alterada, ela se levantou da cadeira e fez uma leve referencia à Jonah e saiu da sala bufando, indo para seu quarto rapidamente. Jogou-se na cama e fechou os olhos, ela queria apenas dormir e sonhar profundamente porque pelo menos ali era podia decidir por si própria o rumo das coisas.

*******************

O dia tão esperado para Issac havia chegado, ele estava finalmente em frente à bela mansão da família Strauss. Respirou profundamente, segurou sua mala firme e tocou a campainha.

“ Que a vingança comece! “ – pensou sorrindo maquiavélico, não demorou muito para que a empregada atendesse a porta.

Mal ele sabia que depois que entrasse naquela casa sua vida daria uma bela reviravolta...


avatar
CarolimPaloma


Mensagens : 2
Popularidade : 0
Data de inscrição : 24/07/2013
Idade : 19
Localização : Rio Grande do Sul - Triunfo
Respeito às regras : Nenhuma advertência. Após 04 advertências, o usuário será banido.

Sou apenas Leitor

Ver perfil do usuário
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Sobre O Amor E A Guerra - Capítulo 01 - Que a Vingança Comece! [+16] :: Comentários

Primeiro a comentar!

Um começo muito atrativo e intrigante. Sua escrita é agradável e a desenvoltura não deixa o texto massante para se ler.

Gostei muito e com certeza vou acompanhar.
 

Sobre O Amor E A Guerra - Capítulo 01 - Que a Vingança Comece! [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: ORIGINAIS-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.