Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

  You Are The Only Exception - Capítulo 01 - Sweet Alguma Coisa [+18]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
04082013
Mensagem You Are The Only Exception - Capítulo 01 - Sweet Alguma Coisa [+18]

Clique aqui para ver todos os capítulos desta história!



Tema do Game:
Amor Doce

Gêneros:
Amizade, Drama, Romance, Songfic.

Clique aqui para ver as Informações Iniciais:
 


Sempre existe algo na vida que nos fascina.Pode ser um carro da moda,uma roupa cara,o filme do ano ou aquele ator que te deixa sem ar,ou quem sabe até aquele Frappuccino delicioso que você tomou recentemente na Starbucks,tanto faz.Mas eu me fascino nas exceções.Elas são especiais e aqueles que a possuem são mais ,ér...notados!Não que eu goste de aparecer,mas quem não adora um destaque?Pronuncie essa palavra:EXCEÇÃO.Percebe que ela você se sente bem ao dizê-la?Não negue,você,eu,todos sentimos isso.Não é preiso ter A+ pra saber disso,é apenas perceber as coisas,notá-las de uma maneira diferente.EXCEÇÃO.








                                                                                                                                    -
Acordei com os gritos repetitivos da minha mãe dizendo: "Hayley,hora de acordar!" á plenos pulmões da cozinha,ou pelo menos,o lugar onde nós comemos comida chinesa toda quinta.Melhor dizendo,comíamos.Acontece que eu estou matriculada em um internato que somente dizer o nome me dá glicose no sangue e muito enjôo.Se não me engano,é Sweet Amoris.Agora me diga você:
Que tipo de pessoa coloca esse nome em uma escola?
Independente da resosta que eu e você dígamos pra minha mãe,ela apens vai dar de ombros e voltar a gritar com a pessoa do outro lado da linha,então,eu não tenho escolha,contando que se eu pulasse a janela,seria a mais nova adição á faixa de pedestres,do além.Me levantei,colocando os pés(um com meia verde e o outro sem) sobre o piso de madeira rangente e fria.Não só o piso:hoje estava insuportavelmente frio.
Não me dei ao trabalho de olhar no espelho-levaria um susto-apenas tomei uma ducha quente,ainda cochilando.Nem mesmo a água quente - fervendo-era capaz de me acordar do meu sono sagrado.
Saí,enrolada em uma toalha fina,com o queixo batendo e o corpo tremendo,orrendo o risco de ter hipotermia.Abri o guarda- roupa e peguei a única roupa que tinha:um jeans desbotado e velho,meu anigo All Star preto que tinha em sua ponta,desenhado de retroprojetor,a palavra "Forever"; e uma camiseta um pouco larga do Green Day.Fiz um rabo de cavalo e desci,com apenas a minha bolsa transversal e o celular no bolso traseiro.Ainda descendo as escadas,senti um cheiro delicioso de panquecas caseiras tiradas feitas á pouco.
-Bom dia,querida. - minha mãe me deu um beijo no rosto e se sentou,pegando o jornal,na parte dos classificados e fazendo círculos vermelhos em poucos anúncios. - Seja rápida ou vai se atrasar.
-Eu preciso mesmo ir nesse lugar?Até o nome é repugnante. - comentei,passando mel nas minhas panquecas e dando uma bela mordida.
-Não quere que passe pelo que estou passando agora. - ela me deu um sorriso e me passou um envelope.Peguei e abri,300 dólares. - Um presente de boas-vindas.
-Mãe,não pode me dar tudo isso.Estamos quase sem grana! - expliquei,devolvendo o dinheiro á ela. - Não quero que fique dura por minha causa,além do mais,onde eu vou gastar tudo isso?Pagando pra algum nerd fazer o meu dever?
-Hayley! - ela me repreendeu. - Não pretende ir ao baile,ás festinhas e arranjar um namorado com... - ela olhou pra minha roupa. - isso,não é?
-Eu não gosto de roupas de babadinhos,mãe. -virei o chá na minha boca e deixei que o líquido adocicado me esquentasse.Limpei a boca com o guardanapo de papel toalha e me levantei,suspirando. - Última chance de me ver.
-Não seja dramáica. - ela pediu,se levantando também e abrindo os braços gorduchos.
-Eu aprendi com a melhor. - ela sorriu e a envolvi com meus braços.
Ficamos nos abraçando por algum tempo até que o táxi buzinou na porta e nos separamos,aquela sensação do adeus voltando aos poucos,até que se apossou de mim.Olhei para o pequeno espaço útil que tínhamos depois que meu pai apostou a nossa casa no 21 do Cesar´s Park,em Las Vegas,e perdeu,assim como nós.Ele morreu pouco depois,em coma alcoólico.Saí e um frio capaz de cortar a alma me tomou.Me abracei e peguei um cachecol da bolsa,apertando bem forte em volta do pescoço.Entrei no táxi,dando um tchau pra minha mãe com um simples aceno.O motorista,já conhecido da família,ficava me olhando o tempo todo pelo espelho e estava na cara que queria dizer algo.
-Fala. - eu disse,me acomodando elhor no banco de couro.
-Não é nada,criança. - ele me chamava assim desde que realmente era uma criança. - Eu estava apenas notado que está desanimada para o primeiro dia na Amoris.
-Eu simplesmente odeio esse lugar de gente metida á besta. - arranquei um fiapo da minha calça. - Todos achando que podem comprar o mundo.
-Não pense assim. - ele disse,sempre otimista. - Ás vezes,as pessoas podem nos surpreender.
-Talvez. 




Peguei o meu celular e conectei os fones,poucos segundos depois,eu os coloquei no ouvido e apertei PLAY,no modo aleatório.Uma música um tanto melancólica,mas que dizia tudo o que eu ainda sentia,mesmo após tanto tempo.Olhei pela janela e aquelas cenas que me assombravam á tempos me vieram á mente outra vez e por mais que eu tentasse apagá-las,foi muito intenso pra simplesmente fingir que não aconteceu.




"Se eu disser que não acreditei,
quando você me disse adeus,
esse não pode ser o fim,
não me arrepener do que falei,
a vida me tornou assim,
o nosso vício se perdeu dentro de mim,
hoje vai ser mais uma vez,
vou acordar sem você ao meu lado,
vou aprender que minha vida é você,
minha vida é você.
(Trecho da música Minha Vida é Você - Hevo84)








O carro parou pouco depois do refrão e olhei o lugar.4 prédios,no total.Um portão com o nome da escola,em estilo gótico.Uma grama tão verde que suspeitei de ser corante.Os prédios pintados de um rosa bebê esquisito,quase da cor de um Danoninho e janelas muito largas que insinuavam formar um coração.Mas afinal,isso era uma escola,ou uma irmandade de apaixonados?Ou talvez as duas coisas?
Desci e peguei as malas,me despedindo do motorista.Não foi preciso tocar a campainha,o portão se abriu automaticamente e uma voz automática medonhamnte doce disse pelos alto falntes:
-Bem-vindo,visitante!Siga em frente e encontrarás o que procura!Bom dia!
Seja o que Deus quiser.
Entrei e vi as placas:
DIREÇÃO ---->
SALAS DE AULA <--------
DORMITÓRIOS ------->
Fui até um coredor largo com poucas portas e na última porta tinha DIREÇÃO escrito.Toquei duas vezes e ouvi uma voz grave e aparentemente masculina dizer "Entre!"
Ao abrir a porta,um leve aroma de café fêz cócegas no meu nariz e por algum motivo,espirrei.Espirrei de novo.Olhei para o canto.Um cachorro estilo beaggle passeava pela sala.
-Sente-se. - eu não tive a oportunidade de ao menos olhar pra pessoa antes de espirrar. - Francamente,alergia á coisas tão fofas?
Assenti,espirrando novamente.Então abri os olhos e a sensação de agonia passou.Tive um susto ao ver que era uma mulher a diretora.Vestia roupas orientais e bem...era oriental,japonesa talvez.
Ela fêz sinal com a cabeça pra me sentar e eu obedeci,coisa que rarament eu faço.
-Hayley O´Donnel? - assenti,dando um sorriso. - Bem- vinda á Sweet Amoris,a escola mais fofa da cidade!
-Deu pra notar. - sussurrei.
-O que achou do campus? - ela piscou os olhos puxados debaixo dos óculos de garu estilo gatinho.
-Na verdade... - fui interrompida.
-Eu sei,é fantástico! - ela deu uma risada falsa e pegou as minhas mãos,apertando com força.Segurei um grito. - Você vai adorar ainda mais o colégio.
-Eu... - interrompia de novo.
-Muiot bem,Haley...
-É Hayley! - a corrigi.
-Aqui estão os seus horários,sua combinação do armário e a chave do seu quarto.Se não me falha a memória,você vai dividir o quarto com...
A porta se abriu e um cara alto,de cabelos loiros,usando camisa,gravata azul e calça social segurando uma prancheta nas mãos entrou,se direcionando á velha gorda,que se chama,segundo sua plaquinha,SRA.YANGHEIN.
-Nataniel! - a velha exclamou,lhe dando um abraço correspondido. - Vejo que já fez o que eu te pedi.Está com a ficha de inscrição da senhorita O´Donnel,certamente.
-Sim senhora. - respondeu o tal Nataniel,seus olhos dourados,tão brilhantes que seriam capazes de me cegar.Ele então olhou pra mim e deu um sorriso largo,que eu confesso,adorei. -Pronta pra conhecer a Sweet Amoris,Hayley?
-Uhum. - me levantei,pegando as coisas que eu tinha ganho á pouco e guardando na mochila.Me despedi da diretora e saímos os dois.Olhei desesperada em busca das minhas malas e o vi gargalhar. -O quê?
-Já levaram as suas malas pro seu quarto.Deveria ter visto a sua cara! - ele gargalhou,mas eu me manti séria.Ele então ficou sério,terminando sua crise com pigarros. - Desculpe,O´Donnel.
-Me chame de Hayley,ok? - começamos a caminhar por um corredor imenso que dava em uma passarela,ligando um prédio ao outro e assim por diante. - Eu posso te chamar de Nate?
-Claro! - ele me deu outro sorriso e dei uma leve ruborizada. - Conhece algum aluno dessa escola?
-Você é o primeiro!
-Que honra! - ele passou um braço pelos meus ombros e gostei de sentir o sue toque.- Eu sou os olhos e os ouvidos desse lugar,quer dizer,o representante de classe e presidente do clube de jardinagem.
-Ah,legal! - comentei. - Flores são legais,mas eu sou mais ligada em esportes.
-Gostei de você.Personalidade diferente,uma exceção entre as garotas desse lugar. 
-Eu gosto de exceções. - sorri e recebi uma piscadela em troca. 
Por um momento,eu pensei em me inclinar um pouco e beijá-lo,mas recusei essa possibilidade momentos seguintes.Ele apenas estava sendo legal comigo,assim como deve ter sido com muitas.Obviamente,estava se exibindo pra mim na cara larga e queria apenas mais uma boba pra iludir.
-Está entregue. - paramos em frente á sala 12.Pude observar que todos gritavam lá dentro,não dando a mínima para o Rocky Balboa de roupa colorida lá na frente,tentando explicar algo sobre física. - Esse aí é o Boris.Vai gostar dele.
-Sinto que sou um pobre cordeiro indo lutar contra leões famintos no Coliseu.
-Uma boa cena para o teatro! - ele anotou algo na prancheta e me deu um abraço. - Boa sorte,Hayley.
-Valeu. - eu disse,pegando na maçaneta prateada e girando-a depois de bater duas vezes.Boris abriu a porta pra mim e me deu um abraço caloroso.
Quando ele me soltou,todos tinham se calado e estavam olhando com desdém pra mim,outros até mesmo com deboche.
-Turma,essa aqui é a...qual seu nome,querida?
-Hayley.
-Hayley.Ela é nova no colégio,então sejam legais com ela! - ele gritou. - Pode se sentar naquela carteira ali.
Ele me indicou uma carteira vaga entre uma loira com cara de nojenta e uma outra garota,de cabelos ruivos,que sorria pra mim.Me sentei e desliguei o celular.
-Prosseguindo... - anunciou Boris. - Há uma lei que diz que tudo o que sobe,deve descer.Alguém discorda disso?
Enquanto alguns respondiam á questão,outros estvaam com os olhos vidrados em mim.A loira nojenta era uma dessas pessoas.
-Essa sua camiseta me lembra alguma coisa... -ela fingiu pensar.
-O quê?O desenhinho no traseiro do seu pônei cor-de-rosa querido?
-Nossa,alguém aqui está com TPM. - cantarolou ela,mexendo em seus cabelos loiros com cachos de vadia. - Uma novata virgem de TPM.Que droga!
-Retire o virgem. 
-Como um cara conseguiu fazer isso?
-Tradicioanlmente malicioso?
-Mentirosa.
-Já chega,Amber!- a ruiva ao meu lado a repreendeu. - Deixe-a em paz!
-Me erra,hipponga.
Me virei pra tal Íris e he dirigi um sorriso.
-Sou Íris. - ela estendeu a mão pra mim e a cumprimentei. - Prazer em te conhecer,Hayley.
-O prazer é meu,Íris. - ela deu um sorrisinho. - Ela é sempre assim?
-Ah é.Mandou bem ao falara do pônei,parece até...
A porta se abriu em um estrondo e vi um cara alto entrar,um gorro preto no cabelo ruivo e as olheiras ainda mais profundas.Eu entreabri os lábios.Não podia ser ele!Não podia!
-Ah,Castiel.Sente-se ali na frente da Hayley.
Ele seguiu o dedo de Boris e me enconrou.Sua expressão era quase igual a minha.Eu estava fodida.

avatar
AmorinhaColorida


Mensagens : 1
Popularidade : 0
Data de inscrição : 03/08/2013
Idade : 22
Respeito às regras : Nenhuma advertência. Após 04 advertências, o usuário será banido.

Escritor especialista em Romance

Ver perfil do usuário
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

You Are The Only Exception - Capítulo 01 - Sweet Alguma Coisa [+18] :: Comentários

Aaah, Amor Doce e Castiel *------* *morrendo aqui* Nem preciso falar que morri aqui, né? Rs. Vou continuar acompanhando.
 

You Are The Only Exception - Capítulo 01 - Sweet Alguma Coisa [+18]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: JOGOS DE VIDEO-GAME-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.