Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

 Beauty and Beast [16+] Capítulo 1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
27032013
MensagemBeauty and Beast [16+] Capítulo 1



As luzes passavam por mim, estava sem saber o que estava acontecendo, barulhos estranhos, e cheiros misturados estavam misturados com vozes desconhecidas.

Aos poucos o cheiro de éter e álcool caracterizaram-se, abri mais os olhos e os jalecos brancos estavam a minha volta, escutei a voz característica e grossa de meu pai.


_Onde ela está?

_Calma Charlie ela esta acordando.

Senti a mão fria do doutor, que estava colocando uma luz em meus olhos, aquilo ardia e era irritante, minha memoria começou a lembrar dos acontecimentos.

_Um monstro, dois, eles queriam me matar, mas um deles...

_Calma Isabela, olhe para mim.

Os cabelos dourados do doutor Cullen me fizeram parar e observar, ele estava me segurando, eu estava em estado de choque, queria gritar a todos o que vi.

_Filha, acalme-se.

Senti uma agulha entrar em meu braço, e logo meu corpo ficou tomado por uma sensação leve.

_Pai, minha mãe... ela..- senti minhas lagrimas escorrerem.

_Sim filha, encontramos o corpo dela na floresta, mas acho que animais encontraram antes.

Sentia minhas pálpebras pesadas, eu queria falar a meu pai que não eram animais, e que ela foi morta por algo diferente, mas acabei dormindo.

(***)

Abri meus olhos e meu pai estava sentado em uma poltrona adormecido, sua cabeça estava caída para o lado, mostrando que não estava nada confortável.

_Pai.- o chamei o que fez ele saltar em alerta.

_Bella, já acordou.

_Sim.- meu olhar caiu e eu lembrava de ada momento que passei como estive em um inferno._ Pai, eu vi, juro que vi.

_Eu sei filha que é difícil ver o que viu, mas o doutor disse que se tomar os remédios e fazer um tratamento o trauma passa.

_Trauma?

_Sim, você ficou delirando sobre monstros, e criaturas estranhas.

_Pai eu sei o que vi.

_Filha, sua mãe foi morta com um tiro, acharam o corpo dos assaltantes, eles também foram carregados por animais, sabe que os ursos estão cada vez mais próximos a cidade, o Doutor Cullen agilizou a autopsia para nós ele mesmo esta cuidando do caso.

_Pai, minha mãe ainda estava viva, eu vi, mas ela foi morta por um monstro, o mesmo que me mordeu.- Ergui meu pulso enfaixado.

_Filha, seu braço estava cortado, um corte feio, mas não tinha mordida alguma, pare com isto, ey vou chamar o doutor, você esta agitada de mais.

Ele apertou a campainha.

_pai, por favor acredite em mim.

_Isabela acordou.

O doutor Cullen entrou no quarto, ele se mudara para cidade a uns três anos, e sua família era muito reservada, mesmo na escola seus filhos eram excelentes alunos, mas não misturavam-se muito.

Todos formavam-se este ano, e iriam a faculdade, havia boatos de que o doutor deixaria a cidade em breve.

_Doutor, ela ainda esta insistindo nesta loucuras.

_Isabela, é normal termos um certo trauma depois de um acidente destes, mas fique tranquila, os remédios vão ajuda-la.

_Não eu não quero remédios, quero a verdade!!!- gritava em vã, pois era agarrada e novamente sentia meu corpo tomado pelos analgésicos e calmantes.

(***)

_Somos somente nós agora filha.- meu pai abraçava meu ombro, enquanto eu via o caixão descer, Phill, namorado de minha mãe estava do outro lado de óculos escuros, ele não era de emoção, mas estava visivelmente abalado.

Joguei a rosa vermelha, preferida de minha mãe, em cima do caixão, e um punhado de terra, meu pai e Phil, fizeram o mesmo, antes de começarem a enterra-la definitivamente.

Caminhei com meu pai e quando estávamos em casa, eu abraçava, sabia que seriamos somente nos, diferente de estar distante e poder vê-la às vezes, agora eu não a veria nunca mais.

Por ironia do destino, o dia em Forks não estava úmido e nem nublado, o sol estava brilhando, fiquei observando o sol, algo que minha mãe adorava.

Ninguém acreditou em mim, mas eu ainda iria descobrir a verdade, e uma promessa eu fiz que descobriria tudo custe o custasse...

( 9 Anos depois...)

Ano de 2012

“A criatura corria em velocidade anormal, e brincava com minha lentidão, ela jogava, e quando estava cansada ela olhava em meus olhos e eu podia sentir sua vontade de me matar... ”

O despertador tocou, me tirando do pesadelo, era sempre o mesmo, me perseguia a nove anos.

Joguei meus braços para cima espreguiçando-me, retirei meu pijama de algodão, e joguei em um canto do quarto, coloquei meu agasalho de esportes, calcei meus tênis de corrida, prendi meu cabelo em um rabo de cavalo e coloquei meu boné.

A cidade de Seatle não era tão boa para uma corrida, mas tinha de manter minha forma, sendo uma policial os bandidos não davam trégua, na verdade uma detetive não tem que correr muito, mas as investigações nos levam a lugares e situações inusitadas.

Em meu I pod a play list era de musicas que me incentivavam, corria e não prestava a tenção a minha volta, era meu momento, o vento em meu rosto, sentia a adrenalina pulsar em meu coração, a corrente sanguina deixava meu corpo quente.

Na volta passava na cafeteria da esquina, e pedia o mesmo café de sempre com uma tradicional rosquina, ser policial trazia vícios, por isso manter a forma era difícil.

Subia os degraus para completar o exercício, o elevador deixava para depois, se bem que o quarto andar não era muito longe.

Meu apartamento estava uma bagunça, e antes de tomar meu banho sentava em frente ao computador e voltava a minha pesquisa de sempre, em nove anos nada de diferente, eu estava com as copias do caso de minha mãe, as quais eu roubei da delegacia de Forks quando fazia meu estagio com meu pai, um pequeno delito para uma grande causa, como agente da lei isto era meio hipócrita.

O laudo da autopsia assinado pelo Doutor Carlisle Cullen continha informações improváveis ao que eu realmente vi, ele relatava que sua morte fora por um tiro, e que seu corpo sofrera escoriações pós morte feitas por algum animal da floresta.

O laudo dos assaltantes também era inconclusivo dizia que eles foram atacados por um urso, o que me deixava intrigada era a falta de informações sobre os assaltantes, nenhuma ficha criminal, nada.

Nada de novo, somente as minhas recentes descobertas de mais casos parecidos em uma pequena cidade, chamada Mystic Falls, já se passara um mês que fiz o pedido de transferência para esta cidade, mas meu chefe não quer que eu deixe a cidade, pois bem em 10 casos que pego 8 são resolvidos, acho que adquiri um instinto de não impunidade, eu odiava casos arquivados, e não desistia facilmente sem uma solução.

Olhei no relógio, e fui ao banheiro, a agua quente relaxava meus músculos que estavam levemente doloridos pela corrida, e o cheiro familiar do meu shampoo dava-me conforto.

Cheguei a delegacia pontualmente as oito, e me direcionei a minha mesa, mal deu tempo de sentar meu celular tocou, olhei o visor era Mike newton, meu parceiro, ele estava em uma cena de crime.

Corri para o local, e uma mulher tinha sido assassinada, mais um caso.

(***)

O dia foi cansativo depois de muitos interrogatórios, a autopsia que atrasou, estava exausta, o celular tocou, e quando achei que fosse do laboratório de criminalística, era meu comandante.

_Swan, pode comparecer agora no batalhão.

_Sim Chefe.

Voltei a delegacia, e seu olhar era de reprovação.

_Swan, porque pediu sua transferência direto.

_Porquê estou a um mês pedindo a você e nada de me dar.

_porque esta súbita vontade de ir a este fim de mundo, Swan você é a melhor detetive que temos, garanto que não vai haver nem metade de casos como você tem.

_É isto mesmo, estou a fim de descansar um pouco- menti, eu queria mais era ação e se isto fosse sobre minha mãe melhor.

_Olha você vai a um lugar onde a maioria dos casos são morte por animais, isto não é seu forte.

_Olha Laurent, desculpa, eu quero isto e esta decidido.

_E Mike já sabe?

_Porque diabos o Mike tem que saber.

_Ele é seu parceiro, e vocês?

_Isso foi há um tempo já, não temos mais nada, e garanto que ele é tão bom detetive quanto eu.

Laurent mesmo contra a sua vontade estendeu o envelope que continha minha tranfêrencia para Mystic Falls.
avatar
Tia Izis Costa
Escritor(a) em Evolução

Mensagens : 65
Popularidade : 0
Data de inscrição : 20/03/2013
Idade : 33
Localização : curitiba
Respeito às regras : Nenhuma advertência. Após 04 advertências, o usuário será banido.


Ver perfil do usuário http://fanficsdaizis.blogspot.com.br/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Beauty and Beast [16+] Capítulo 1 :: Comentários

Nenhum comentário.
 

Beauty and Beast [16+] Capítulo 1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: CROSSOVER-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.