Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

  Amor, Um Sentimento Confuso - Capítulo 11 []

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
15052013
Mensagem Amor, Um Sentimento Confuso - Capítulo 11 []

Categorias do Crossover:


[img][/img]

Gêneros:


Clique aqui para ver as Informações Iniciais:
 


Estava tentando não entrar em pânico como muitos ali estavam, percebi que Edward se aproximou, eu queria brigar com ele por estar se agarrando com Tania, mas não ia fazer isso, queria bater nele por ser tão otário, mas não ia fazer isso.




–Oi- falou ao se aproximar de mim no escuro.




–Tchau – falei ríspida virando a cabeça para o outro lado.




Eu estaca sentada no chão de pedra, afastada de todos, estava me sentindo estranha naquele momento, por que ele veio me incomodar mais ainda?




–Por que você está assim? – perguntou sentando do meu lado, bem perto.




–Não interessa para idiotas!- respondi ainda sem olhar pra ele.




–Ah agora você é a grossa?- perguntou olhando pra mim.




Olhei pela primeira vez em sua direção, ele conseguia eliminar qualquer raiva que tinha dele com sue olhar, ele estava confuso.




–Fala logo o que você quer Edward!




–Eu só queria saber o como você está, você está longe de todos, até Alice está preocupada!




–Só queria ficar sozinha! – exclamei em uma indireta bem direta.




–Você está com medo né?- perguntou olhando em meus olhos.




Desviei o olhar daquelas pedras de esmeraldas e voltei a fitar as paredes úmidas e negras da caverna.




–Estou Edward, eu não queria ter vindo aqui, eu não queria ficar longe de meus pais, eu não queria!- eu estava quase gritando de tanta raiva que estava, mas não sabia por quê.




–Eu sinto muito, mas não se preocupe, eu... Eu estou aqui... Para o que precisar...




Era a primeira vez que ouvia Edward oferecer ajuda a alguém, olhei confusa pra ele.




–Por que você não vai ver se a sua ¨namorada¨ não precisa de ajuda com o sutiã?- ele sorriu travesso por um tempo, mas então se lembrou de algo e fechou a cara.




Apenas revirei os olhos.




–Olha, eu não sei o porque que você está assim, eu só queria ajudar mas...




Ele se levantou, ele ia ir para onde o pessoal se arrumava pra deitar, mas eu não queria que ele fosse, só queria alguém comigo agora.




–Não, fique, eu... Desculpa só estou com medo – talvez fosse isso mesmo que eu estava sentindo.




Ele voltou a sentar do meu lado, você já comeu alguma coisa?




Só quando ele perguntou isso que me lembrei de minha mala, olhei para o lado e ela estava ali.




–Não estou com fome!- por que ele estava se preocupando comigo?




Puxei a mala pra perto e a abri, retirei umas sacolas de comida e peguei umas roupas que tinha ali dentro, coloquei perto da parede da caverna e me deitei com a cabeça em cima das roupas. Edward continuou me olhando.




–Você acha que ela não gosta de mim? –perguntou me tirando de meus devaneios.




–Que?- perguntei confusa.




–a Tania, você acha que ela gosta de mim? Por que se ela não gostasse por que...




–Edward! Ela não gosta de você, e só você não vê isso!- falei em desespero, só ele pra não ver isso.




–Edward?- chamou uma voz anasalada e tentando parecer sensual.




Olhei pra Tania com desprezo e repugnância, Edward olhou pra ele confuso.




–Eu estava te procurando, vem, vamos dar uma voltinha?- perguntou ela com malícia.




Eu não era obrigada a ouvir ela se insinuar pra ele na minha frente era?




–Isso Edward, vai lá cachorrinho, está na hora de comer os restos dos outros.




Falei ao ver ele se levantar, o seu sorriso sumiu no momento em que falei.




Tania fez ima cara feia e olhou pra ele indignada.




–Como você pode falar assim? Você está se referindo a mim como uma cadela?- perguntou confusa, apenas sorri ironicamente.




–Se você entendeu isso!




Então eles se foram na escuridão e eu fiquei lá, estava quente e raiva, Edward era um otário mesmo. Fiquei um tempo ali deitada, olhando o teto escuro então alguém se aproximou.




–Oi Bells!- Ângela deitou ao meu lado.




–Oi Ângela! Como você está?- perguntei virando a cabeça em sua direção.




–Cansada – ela riu – eu queria perguntar uma coisa Bella, eu ia falar com Jessica mas ela e Mike não se desgrudam, então tem que ser com você!




–Pode falar, estou ouvindo!- falei sorrindo.




–Bom, é que... Eu estou apaixonada!- falou tão rápido que mal pude ouvir.




–O que? Você está o que?- perguntei.




–Apaixonada Bella, é isso, eu estou apaixonada- falou um pouco mais lento dessa vez.




–Ângela, isso é sério?- perguntei me levantando e olhando direto pra ela. Eu já até sabia por quem era, eles não me enganavam não.




–Muito sério, não era pra ser assim Bella, ele é meu amigo...




Eu sabia!




–Eu acho que ele também gosta muito de você!




–Mas eu nem falei quem era!- falou ela confusa, arrumando os óculos.




–Eu sei que é pelo Jacob Ângela!




Ela ficou um pouco constrangida e sorriu nervosa.




–Mas eu acho que ele me quer só como amiga e nem sei se vamos sair daqui dessa caverna, então não vou falar nada pra ele!




–Mas...




–Não Bella!- ela me interrompeu.




–Tudo bem!- dei um sorrisinho e dei de ombros, eu não ia deixar quieto assim não!




–Estou com fome!- reclamou ela depois de um tempo, e percebi que meu estômago protestava com roncos também.




Puxei minha mala mais uma vez e peguei uma sacola com pastéis e folhados, comemos meus pastéis, cada uma um, precisávamos economizar também, e Ângela trouxe uma coca morna para bebermos.




Depois de comermos ela se ajeitou de meu lado com seu edredom, qual ela tinha trazido acidentalmente na mochila e nos tapamos assim, depois de um bom tempo Ângela dormia tranquilamente ao meu lado, mas eu não conseguia pregar o olho, só pensando em o que eles estariam fazendo, se estariam longe, se Edward estava bem... A ultima coisa que lembrei antes de dormir foi do sorriso de Edward.




Acordei assustada, pensando que tudo aquilo era um sonho, um sonho ruim, que tudo estaria ao normal quando eu acordasse, que eu estaria em minha cama, em minha casa, mas a dor nas minhas costas não era um bom sinal, abri os olhos lentamente e percebi que muitos ainda dormiam, apenas umas meninas e Alaric já estavam acordados, ele estava sentado de costas pra mim, me levantei e fui até ele.




–Tudo bem?- perguntei ao me sentar em seu lado, olhando pro nada, ou talvez pras paredes daquele lugar.




–Você também veio me dizer que sou culpado disso?- perguntou amargurado.




–Claro que não! Você não tem culpa disso, ninguém tem – falei com uma incerteza.




–Mas fui eu que preparei essa viagem, eu fiz com que tudo desse exatamente certo, até chegarmos aqui e... Tudo sair do meu controle.




–Alar... Professor, não se culpe por isso, você não foi o responsável!- tentei amenizar sua culpa.




–Eu não sei Isabella, você era quem devia mais me julgar, pois você não queria vir, e eu fiz um jeito com que todos viessem, e agora estou aqui, sou o único adulto entre quarenta e dois alunos.




–Mas você só estava fazendo seu trabalho, não se culpe, eu vim por que quis- menti corando levemente, agradecendo por estar escuro ali.




–E o pior é que não tem ninguém preocupado comigo, a minha espera, e com vocês... ah o que os pais vão pensar de mim? Eu vou perder meu diploma assim...




–Ei, não vai não- coloquei a mão em seu braço, tentando o transmitir força – foi um acidente, e vamos sair dessa, todos juntos!




–Isabella, se alguém se machucar a culpa vai ser minha, pois eu sou responsável por vocês!- falou olhando pra minha mão em seu braço, a retirei e voltei a olhar para o nada.




–Você é responsável por nós, e não pelo que fazemos ou acontece conosco!




–Talvez você tenha razão...




Alaric parecia bem abalado com tudo, também ele tinha razão em alguma coisa, ele era o único adulto no meio de quarenta e dois alunos. Só esperava que tudo desse realmente certo e logo saíssemos daquele lugar...



avatar
Lah Salvatore
Escritor(a) Criativo(a)

Mensagens : 217
Popularidade : 1
Data de inscrição : 20/03/2013
Idade : 19
Localização : Brusque - SC
Respeito às regras : Nenhuma advertência. Após 04 advertências, o usuário será banido.

Escritor especialista em Romance

Ver perfil do usuário http://amorantesdetudo.blogspot.com.br/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Amor, Um Sentimento Confuso - Capítulo 11 [] :: Comentários

Tenso... tadinho do Alaric...
Pois é, muita responsabilidade para o coitado!!!!
 

Amor, Um Sentimento Confuso - Capítulo 11 []

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: CROSSOVER-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.