Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

  A Missão - Plano não muito elaborado - Capítulo 20 [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
29052013
Mensagem A Missão - Plano não muito elaborado - Capítulo 20 [+16]

[img][/img]

Gêneros:
Ação, Romance,

Clique aqui para ver as Informações Iniciais:
 


– O que está acontecendo Ernesto? - Edward perguntou.




– Agentes Cullen, a Renesmee foi sequestrada, pela Tanya.












Acho que meu coração parou de bater, minhas pernas de repente perderam os sentidos. Senti mãos em volta de minha cintura, tentei me manter forte e por um segundo pude ouvir uma voz bem lá no fundo me pedindo socorro. Nessie. Minha filha estava correndo perigo nesse exato momento. Uma onda de pânico tomou conta de mim e depois, fechei os olhos.












~ * ~












Acordei em uma sala toda branca e conhecida. Hospital da agência. Respirei fundo, aquele não era nem de longe o meu lugar favorito dali. Uma voz na minha cabeça insistia em me perturbar e como em um jato todas as lembranças voltaram. Meu deus, o que eu estava fazendo ali enquanto minha filha corria perigo?












Em um salto me levantei na cama e em outro eu já estava no corredor tentando achar os outros.












– Bella, Bella. - alguém me gritou, continuei andando. Ninguém iria me prender naquele hospital estúpido. - Espera.












– O que foi? - me virei pronta para discutir e vi um Demetri ofegante.












– Nessie... - disse apoiando as duas mãos nos joelhos para descansar.












– O QUE TEM ELA? ACONTECEU ALGO?












– Acharam algumas supostas pistas.












– Pistas? Aonde? Cadê o Ernesto, já providenciou algo?












– Ele está em sua sala com Edward planejando alguns esquemas.












Mal ele tinha terminado de falar e eu já tinha virado as costas, rumando para a sala de Ernesto.












– O que vocês ainda estão fazendo aqui? - berrei ao abrir a porta da sala e ver ambos sentados.












– O que você - disse Edward se levantando - está fazendo aqui?












– Não vem com essa. Pistas, vamos. Aonde? Como? Anda gente vamos agir, tem uma criança correndo perigo, minha criança está correndo perigo. - disparei.












– Bella calma, assim não vamos chegar em nada. - começou Ernesto.












– E como você quer que eu fique? Sentada planejando algo inútil?












– E você acha que vamos simplesmente entrar lá, pegar Nessie e ir embora? - disse Edward.












– Não é ficando sentada que eu vou descobrir isso. - o respondi - Ernesto, de acordo com as pistas aonde Nessie se encontra?












– Em um dos galpões abandonado na zona leste. Mas...












– Quando os dois criarem coragem, vou estar em direção á esse galpão. - virei e segui caminho pelo corredor.












– Bella espera, não faz isso. - ouvi Edward sem dar atenção.












Pelo o que pude escutar ele não vinha atrás de mim, dei uma olhada rápida para trás e confirmei. Apressei o passo até a garagem, peguei a chave com o responsável dos carros da agência e caminhei ate ele. Antes deu poder dar a partida, a porta do passageiro se abriu e Edward entrou batendo a porta.












– Coloca isso. - me jogou um colete a prova de balas. - Não suportaria perder você de novo. - deu de ombros enquanto colocava o sinto. Meu coração se apertou, tentei disfarçar enquanto vestia o colete e colocava o sinto.












Liguei o carro e sai em disparada da garagem, seguindo sempre a leste.












– Ernesto, cadê? - perguntei, depois de um bom tempo em silêncio.












– Chamando reforços e explicando o suposto plano.












– E qual é o plano?












– Não faço a mínima ideia, só peguei os coletes e corri a trás de você. - dei um sorriso de canto.












– Então acho melhor a gente improvisar um.












– Assim que a gente chegar... BELLA, PARA O CARRO. ALI. - apontou com o dedo um galpão que mesmo ao longe, percebia-se um maior movimento.












Parei o carro de qualquer jeito, peguei a arma que estava no porta malas e depois de verificar se tinha balas, corremos em direção ao galpão. Paramos um de cada lado do grande portão, com as armas apontas para cima.












– No três. - sibilou ele.












– Um. - murmurei fazendo o número 1 com o dedo.












– Dois. - fez o mesmo.












– Três. - dissemos juntos e com cada um dando um chute, arreganhamos os balcões.












Ao longe, bem ao fundo do galpão, encontrava cerca de quinze homens. Com o barulho que os portões fizeram eles olharam assustados para a gente, mas logo recuperaram a pose e com sorrisos cínicos no rosto, foram se aproximando. Como se já esperassem por isso.












– Parados FBI, não se mecham. - gritou Edward apontando as armas.












– Estávamos esperando por vocês. - disse um deles, cujo com o sorriso deixava seus dentes podres a mostra.












– Cadê a criança? - perguntei com raiva.












– Criança? Acho que a senhora errou de galpão. - disse outro homem, chegando mais perto e esfregando as mãos.












– Eu já avisei para não se aproximarem. - falou Edward enfurecido.












– E o que vai fazer? Atirar? - perguntou o primeiro homem atrevido.












– Exatamente. - disse Edward.












– Somos mais de quinze, pelos os meus cálculos você devem ter... umas dez balas. Juntos. - se aproximou mais.












– Acho que seus cálculos estão errados. - falei dando um tiro para cima fazendo-os recuar.












– Tem razão... - continuou o mesmo. - Agora são nove balas. Menos um homem morto para nós. - sorriu.












– Só você me contenta bastante. - disse apontando a arma em sua direção.












Em um gesto muito rápido fui agarrada por trás. Apertei o gatilho e no meio da confusão pude ver que acertara o meu alvo.












– Desgraçada. - urrou o homem.












Tentei sair da chave de braço, minha arma foi tomada da minha mão e depois a senti em minha cabeça.












– Larga a arma. - se dirigiu a Edward que apontava a arma para quem me segurava. - Larga ou ela morre.












– Calma. - disse Edward pálido. Colocou a arma muito devagar no chão e pois as mãos para o auto.












Um homem se aproximava silenciosamente atrás dele, tentei avisar com movimentos na boca, mas antes que ele entendesse o cara o agarrou por trás, do mesmo modo que eu estava.












– Muito bem Gabbe. - disse o homem que me segurava para o que agarrou Edward. - Agora vamos levar os dois pombinhos para o lugar de sempre.












Sem mudar o jeito que estávamos, começaram a andar atrás de nós, nos forçando a ir para frente. Edward e eu nos aproximamos um pouco.












– Qual é o plano? - murmurei que pareceu compreender.












– Não morrer. - respondeu antes que os caras nos afastasse.












– Sem conversinhas. - disse Grabbe.












Levaram a gente para uma porta lateral que continha do lado direito, bem no fundo do galpão. Era uma sala escura, eles nos amarram de costas um para o outro, pelo o que eu pude perceber bem no meio da sala.












– Espero que não morram... não antes da chefa chegar. - falou um dos homens, deu uma risada forçada e em um estrondo bateu a porta, nos deixando sozinhos na escuridão.












– Bella, só quero que saiba que... Eu te amo. - falou Edward.












Não era hora nem o momento perfeito, mas eu me sentia na obrigação.












– Edward. - respirei fundo - Eu... Eu estou grávida.












Jurei o ouvir engolindo em seco nesse momento.





avatar
Lah Salvatore
Escritor(a) Criativo(a)

Mensagens : 217
Popularidade : 1
Data de inscrição : 20/03/2013
Idade : 20
Localização : Brusque - SC
Respeito às regras : Nenhuma advertência. Após 04 advertências, o usuário será banido.

Escritor especialista em Romance

Ver perfil do usuário http://amorantesdetudo.blogspot.com.br/
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

A Missão - Plano não muito elaborado - Capítulo 20 [+16] :: Comentários

Nenhum comentário.
 

A Missão - Plano não muito elaborado - Capítulo 20 [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: FILMES-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.