Digite o nome do autor do mesmo jeito que aparece no perfil. Será mostrado tudo que o autor participa.


Icon Icon Icon Icon




A Devil For Me. - Capítulo Mais um dia de trabalho. [+16] por sakymichaelis Ter 29 Out 2013 - 19:57



Cavaleiros do zodíaco-batalha final - Capítulo Prólogo [+13] por VITOR/OTAKU 305 Sab 26 Out 2013 - 17:51



Mid - Demons - Capítulo Prólogo [+16] por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:48



[Me candidato à Beta Reader] Lara_  por Lara_ Qui 24 Out 2013 - 18:32



[Me candidato à Beta Reader] Aline Carvalho  por Aline Carvalho Qui 24 Out 2013 - 17:39



Ver tudo





Nós estamos no ar desde
Sab 16 Mar 2013 - 11:57!


Capítulos postados: 479

Comentários postados: 973

Usuários registrados: 491



O último usuário registrado foi:
sayuri234

Parceiros




Compartilhe | 
 

  Pais & Filhos - Prólogo - A Velha Lia [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
MensagemAutor
03062013
Mensagem Pais & Filhos - Prólogo - A Velha Lia [+16]

[img][/img]

Gêneros:
Songfic, Terror, Drama,

Clique aqui para ver as Informações Iniciais:
 


A casa de repouso “Morada da Lua” era famosa por sua tranquilidade e recato. Uma construção sólida do século XIX que abrigava poucas pessoas em seus inúmeros quartos. Mas eram pessoas distintas, e em geral, com muito dinheiro. Uma das mais ilustres hóspedes da Morada era Amélia Cohen, apelidada pelos funcionários como a Velha Lia. Ela herdara uma fortuna considerável com a morte dos pais e a aumentara em muito por conta do próprio talento, tornara-se antes dos vinte e dois anos, uma das dez maiores fortunas do país.
Sara, sua enfermeira particular, sentia um enorme pesar pelo dia de hoje. Com o passar dos anos se afeiçoara de verdade à Amélia que iria embora dali a poucas horas. Sua filha viria buscá-la. Com a maioridade chegando, e com a incapacitação legal de Amélia, Fátima Cohen assumiria o controle da fortuna da família e tomara a decisão de cuidar por si própria da mãe.
— Lia? Lia? Amélia, querida, venha, temos de nos aprontar, hoje é o grande dia.
 A doçura e paciência na voz da enfermeira eram evidentes; todos na casa de repouso tratavam Amélia com deferência. Apesar do apelido carinhoso, a Velha Lia como era conhecida, não era realmente velha. Acabara de completar trinta e oito anos.
Aos vinte anos, Amélia Cohen, era um nome em eminência no mundo da arte. Uma jovem promissora, diziam as revistas da época, com talento e carisma para galgar uma carreira que tinha tudo para ser brilhante, além de um passado trágico que sempre comovia as grandes massas. Um dia ela simplesmente se levantou, foi até seu estúdio, onde começou a trabalhar em uma das paredes, e não parou mais. Quando a procuraram para lhe avisar que todas as suas obras haviam sido vendidas na inauguração de sua galeria de artes, na noite anterior, ela simplesmente respondeu:
— Eu sei! — e essas foram suas últimas palavras em quase duas décadas.
Os críticos ficaram loucos quando viram o resultado final. Toda a parede havia sido coberta por uma fina camada de gesso, depois esculpida e moldada delicadamente até a perfeição, para só então a artista dar vida a sua obra com uma infinidade de cores. Um pequeno anjo ocupava quase a totalidade da obra, rodeado de borboletas e pássaros, uma ilha paradisíaca flutuava no horizonte, para onde o anjo voava. Na parte de baixo da pintura, em meio às sombras, seres malevolentes e invejosos tentavam alcançá-lo sem êxito, dando a obra um toque surreal de contraste da inocência contra a ganância dos seres retratados. Infelizmente a obra fora feita diretamente na parede e era impossível removê-la. Amélia, no entanto não esboçou qualquer reação sobre o sucesso de seu trabalho.
Após acabar, simplesmente ficou sentada em sua cadeira. O olhar vagamente perdido no meio do nada, sem nunca mais esboçar qualquer sentimento, seja raiva, orgulho, tristeza ou alegria. E assim ficara por dezoito anos. Sara, a Enfermeira que a ajudava vestir-se, sabia de tudo isso. A história da Jovem artista que entrara em reclusão mental foi manchete por muito tempo. Principalmente pelo fato dela ser uma das jovens mais ricas da atualidade. Dinheiro este que foi utilizado apenas para pagar a casa de repouso no qual Amélia viveu todos esses anos e na criação e educação de sua única filha, cujo pai Amélia nunca contou quem era.
— Venha querida, sua filha vai chegar a qualquer momento para leva-la, você não está feliz? — a pergunta era retórica, pois Sara sabia que Amélia nunca respondia.
— Aquela criatura não é minha filha. 
A surpresa e o choque congelaram as mãos da enfermeira em pleno ar.
— Meu Deus Amélia, vo-você falou comigo?
— Aquela criatura vil e sem coração não é minha filha, ela vem para terminar o que começou a mais de sessenta anos atrás. Preste bem atenção no que vou lhe contar, pois não tenho muito tempo, e quando acabar irei lhe tornar fabulosamente rica, se você puder me fazer um favor.






Convidad
Convidado



Voltar ao Topo Ir em baixo
Gostou? Então compartilhe: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Pais & Filhos - Prólogo - A Velha Lia [+16] :: Comentários

Re: Pais & Filhos - Prólogo - A Velha Lia [+16]
Mensagem em Qui 6 Jun 2013 - 20:06 por Convidad
Eu imaginei que você fazer o prólogo com esta parte. Ficou perfeito.
Eu simplesmente adorei o começo. Deixa no ar o motivo pelo qual alguém tão jovem já está exilada em uma casa de repouso; além de liberar a curiosidade no final pelo que Amélia diz sobre sua filha. Qual será o motivo pelo qual ela fala assim da filha?
Re: Pais & Filhos - Prólogo - A Velha Lia [+16]
Mensagem em Sex 7 Jun 2013 - 8:51 por Convidad
rsrsrs. Eu pensei em começar fazendo um suspensezinho, adoro um suspense
 

Pais & Filhos - Prólogo - A Velha Lia [+16]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: ::::::::: PUBLICAÇÃO DE FANFICS [CATEGORIAS] ::::::::: :: ORIGINAIS-

Site melhor visualizado e operado no Mozilla Firefox ou Google Chrome.
No Internet Explorer você não conseguirá usar muitos recursos especiais.